Sei que todos devem estar de saco cheio com comentários sobre nossa derrota… Mas achei algumas coisas pertinentes e não as vi comentadas em lugar algum…

É da ciência de todos, que por conta dos sinalizadores o jogo foi paralisado por quase 6 minutos… E é sabido também que a torcida palmeirense foi a suposta origem de todo o fumacê… E para quem não assistiu o jogo na Band, foi informado em meio a transmissão de que havia uma ordem judicial que impedia a entrada de sinalizadores em estadios no estado de Santa Catarina… Porém uma torcida organizada conseguiu entrar hoje com o material no estádio, atravéz de uma liminar expedida na justiça…

Só que meu cunhado compareceu ao estádio, e disse que estava próximo de uma torcida organizada: justamente a que estava utilizando os tais sinalizadores (torcida essa que hora ou outra se vê envolvida com decisões judiciais, talvez por isso a facilidade em conseguir a liminar)…

Gente, não tenho nada contra a utilização de tais apetrechos. Mas isso prejudicou enormemente o Palmeiras na tarde de hoje…

Não que tenha sido determinante na derrota. Até por que penso que houveram algumas jogadas bastante contestáveis em relação ao Gaciba (como um penalty claro no Kléber no segundo tempo, entre outras jogadas puramente interpretativas…), e falhas palmeirenses de finalização em chances claras de gol…

Mas o jogo tinha acabado de ser empatado. Adversário com um jogador a menos. Com o primeiro gol de um de nossos ídolos, após um aguardado retorno. E o melhor o primeiro penalti convertido pelo Palmeiras em meses. Cenário perfeito para nos alavancar em busca da virada. Marcos Assunção por pouco não virou o jogo em uma bela cobrança de falta…

E então… São acesos os sinalizadores, e o jogo é esfriado…

O Avaí que vinha jogando com 10 desde o fim do primeiro tempo, teve um tempinho para recuperar as forças. E o Palmeiras não jogou nada após a parada forçada…

E os 6 minutos de recesso, somados as seis substituições, a expulsão de Léo, a marcação de um penalti foram somados pelo Gaciba e foram dados 7 minutos de acréscimo… Que ficaram por apenas 5:50 por conta da vontade de Gaciba… Talvez uma compensação do árbitro, para que não tomassemos mais gols…

Bom, é óbvio que o Felipão teve sua parcela de culpa nessa derrota. Porém, reclamavamos de que os treinadores anteriores só sabiam substituir jogadores por volantes. O Felipão pôs o time com 4 atacantes… Jogavamos fora de casa, e arrancavamos um empate. Mas somos o Palmeiras, e Felipão sabe disso. Mas quem joga não é ele e sim os jogadores.

Porém prefiro perder jogando em busca da vitória, do que acuado no campo de defesa.

Ainda há um longo caminho a ser percorrido. O Avaí jogou muito bem. E o Palmeiras tem muito a evoluir.

Mas o único adversário que temos que enfrentar são os outros onze do outro lado do campo. Digo isso aos Tribunais, Gacibas e Manchas por aí afora…

Um time que vinha desacreditado após os últimos resultados… Que apesar dos jogadores talentosos, não conseguia ganhar um título expressivo há anos… No Paulista, derrotas em casa para times do interior, além de derrota no clássico para o arqui-rival…

Cenário familiar a nós palmeirenses, não?

Certamente… Mas quem achou que estava falando da atual temporada, se engana: este cenário retrata fielmente o ano de 1993, nossos 16 anos de excassez de títulos, e nosso grande esquadrão (Evair, Mazinho, Edílson, Cléber, e nosso atual comandante…), e a derrota na primeira partida da final, perante o Corinthians…

Mas, vocês irão me perguntar “Palestrino, o que tem isso com o jogo de ontem?!?!?!?”…

Bom… Tem que o Palmeiras de hoje tem um Antônio Carlos (remanescente daquele jogo), que foi inflamado e impulsionado pela comemoração do único gol adversário, decretando a derrota no primeiro jogo da final… Para quem não se recorda (o que creio que seja difícil…), Viola comemorou seu gol no primeiro jogo, imitando um porco, em frente as câmeras da TV… O time entrou na segunda partida, mordido (trabalho psicológico de Luxa, técnico da época), e ganhou no tempo normal e na prorrogação, e o resto já sabemos…

E Madson??? Não fez o mesmo ontem após o gol de empate???

É claro que foi uma comemoração “provocativa” que fez alusão a um mascote o qual nossa própria torcida denomina o Verdão… E nem havia sido mais acintuosa do que as duas anteriores…

Mas… Novamente um adversário que imitou o porco, levou 4 do time do Palmeiras…

Será que não aprendem?

Contra o Sport, na Libertadores o ano passado, foi o mesmo… Todas as fichas no Sport e seus craques selecionáveis (Inclusive Durval, que atuou(?) ontem)… E sabemos o fim de mais esta história…

E não duvido que a mudança de postura do time não se deva a conversa de AC, no intervalo…

Bom… O que eu sei, é que ontem, vimos o Palmeiras enfrentar de igual para igual um adversário que vivia um melhor momento (10 vitórias seguidas não é pra qualquer um), e tinha um time jovem e bastante promissor…

Mas digo que não senti dúvidas de que o Palmeiras fosse se encher de brios, e encarar o Peixe: seja chegando duro, seja na habilidade, seja na eficiência…

Eu não tenho dúvidas do mérito e da sorte do ataque santista, nos primeiros dois gols no confronto… Assim como não tenho dúvidas do demérito de nossa defesa, em perder duas saídas de bola…

E não tive dúvidas de que o Cleiton cruzaria a bola na cabeça para diminuir a contagem, na falta sofrida pelo Diego… Só achei que seria o próprio Diego a estufar as redes (o que acabou por fazer mais tarde no 3º gol)…

Não tive dúvidas de que o resultado seria buscado até o último minuto… Nem que a garra dos onze homens de verde em campo, se sobressairiam a habilidade e a magia do futebol santista… Magia que ontem foi suprimida pela força e superação alviverdes…

Nunca deixei de ter orgulho de ser palmeirense, porém ontem tive mais ainda… Há tempos não ficava rouco entoando meus palavrões e narrando o jogo, como todo palmeirense que se preze gosta de fazer…

Hoje não conseguia falar direito…

Deu orgulho ver aqueles que eram tidos como indignos de empunhar o manto palmeirense (ou com prazo de validade vencido), batendo no peito, no escudo, e mostrando as veias de seus braços, a pequena torcida na Vila Belmiro…

Obrigada Palmeiras… Por nos fazer acreditar novamente…

E Marcos… Você continua sendo o mesmo de sempre: não para nao, cara… Durma num potinho de formol e seja nosso eterno camisa 12…

Obrigada Marcos… Por ser tão singular, que renega a costumeira camisa 1: a doze, costumeira, lhe cai melhor…

Obrigada por roer o osso (se queixando esporadicamente, é verdade), mas sempre acreditando e nos fazendo crer que dias melhores virão…

Obrigada por renovar meu amor palestrino a cada milagre praticado… a cada defesa que expõe o seu corpo (já cheios de remendos cirúrgicos, resultados dos inúmeros encontros com o bisturi) a dores inimagináveis, somente para evitar mais um gol do adversário…

Por cada penalti perdido perante a sua imagem: se agigantando perante os Marcelinhos, Zapatas, Vampetas, Dutras… Diminutos se comparados ao nosso santo… Grato, São Marcos!

Por ter suportado os Agnaldos, Alexandres, Marcões, Jumares… Entre tantos outros que não mereciam sequer pisar o mesmo gramado que você, quanto mais partilhar a mesma camisa… Como lhe agradeço!

Por cada investida ao ataque, com ou sem consentimento dos treinadores, para tentar em algum último (ou nem tanto) lance, para não só mudar o resultado do jogo, mas para quem sabe mostrar a todos o que já mostra nos rachões na academia: seu faro para gol… Valeu Marcão!!!

Por cada declaração apaixonada, emocionada, revoltada, frente as mais diversas câmeras e microfones por este mundo afora… Dando-nos a certeza de que faríamos, nós torcedores, o mesmo se estivessemos em seu lugar… Lhe entendemos e lhe agradecemos, Marcos…

Obrigado, por ir na contramão da mesmice dos craques brasileiros, e em seu auge na carreira, zombar dos dólares do ingleses do Arsenal… Se negar a honra de substituir a lenda David Seaman… Para por o Palmeiras em seu devido lugar (não sem antes, percorrer o calvário da série B): a divisão de elite do futebol tupiniquim…

Agradeço por, assim como em outrora o fizeram Ademir e tantos outros, o real siginificado da palavra ídolo… Incontestável e idolatrado por todos os 15 milhões de palmeirenses ao redor do globo…

Enfim, agradeço também pela bola solta perante o atacante do poderoso Sertãozinho… E por todas as outras que a sua genialidade e experiência já não lhe permitem defender… Afinal, és o mais humano dos santos, e passível de erros, que nunca lhe encobrirão os inúmeros acertos…

Jogadores normalmente passam pelo clube, ídolos ficar na memória, mas você já faz parte de nós…

Diga-nos que é mais uma de suas brincadeiras, e que não pendurará as luvas ao fim do ano…

Eu amo você, Marcos!

A partir de hoje (com um pouco de atraso) terei o prazer de comapartilhar com uma amiga o espaço no blog… Eis seu primeiro texto:

Muricy – li em um dos artigos do Lance!, que um dia antes do classico, o Muricy ligou para a diretoria do SPFC pedindo a vitoria tricolor…Hummm, sera verdade???  Por mais que ele esteja magoado…na boa, acho que esse cara nao tem auto critica. Alias, qdo ele acusou a diretoria palmeirense de “falta de ousadia”…uau…eu dei risada…queria muito saber o que ele acha de sua propria “ousadia” ofensiva como treinador. Me poupe..

Em terra de cegos… – Depois da demissao do treinador, teve torcedor (palmeirense) que queria ver o Muricy Retranca Ramalho de volta!!!!!…Ah, e ainda disseram que ele nao teve culpa nenhuma pelos desempenhos pifios do Palmeiras no Brasileirao…que era tudo culpa da diretoria. Ave Maria…que a nossa diretoria foi muitas vezes tao devagar quanto omissa (em atitudes e contratacoes), nao temos duvidas. Muitos jogadores, tambem tiraram o peh e tiveram sua parcela de responsabilidade na queda de desempenho.

Mas isentar a responsabilidade do Muricy no nosso fracasso…nao dah…Gente, literalmente…ele foi a mosca que caiu na nossa sopa. Adeus retranca e nao volte nunca mais!!!

Ps- sobre a diretoria, darei mais pitacos (num proximo post) no meio dessa semana.

SOBRE A PARTIDA:

Nao foi um jogo brilhante, mas foi no minimo interessante para observar o Palmeiras sob o novo comando. Pelo menos, o inicio desse comando, porque, afinal, o Antonio Carlos teve pouquissimo tempo para treinar essa equipe.

Gostei do “esboço” do que vi no Verdao. O primeiro tempo foi de igual pra igual e com certeza, a expulsao do jogador Xandao, no comeco da segunda etapa, facilitou a vida do Palmeiras, ate porque, o Sao Paulo, com dez jogadores, ficou literalmente apatico dentro de campo, perdido..Acho que o Dagoberto tambem fez falta ao SPFC…Eu gosto muito desse jogador..
De qualquer forma, o RG tem de fazer algumas mudancas rapidas (tambem taticas), principalmente para a Libertadores, caso o contrario, minha intuicao feminina diz que sua cabeca ira rolar.

O QUE EU GOSTEI NO VERDAO:
FORTE MARCAÇAO – Time que marca a saida de bola adversaria de forma competente, uma hora ou outra, vai ter a chance de roubar essa bola – e estando a defesa rival vulneravel, esse contra ataque, pode ser mortal. Isso eh um fato. Mas, nao aconteceu nesse jogo. Por ironia do destino, nossos gols foram pra lah de “Muricyanos” – de bola parada. Mas, a filosofia da forte marcacao, nao soh aumenta a possibilidade de gols, como tambem atrapalha o toque de bola do adversario; e nesse jogo especifico, a nossa marcacao fez com que os sao paulinos errassem muitos passes. Porem, como pudemos observar, nao soubemos aproveitar esses desarmes…nossos contra ataques, foram “lentos” e pouco efetivos – mas eh uma coisa que pode ser trabalhada pelo Antonio Carlos. Ps – vale lembrar que a “marcacao sob pressao” tambem era uma filosofia do nosso querido ex tecnico Jorginho….que alias, esta fazendo um belo trabalho no Goias.
SIMPLICIDADE 4-4-2, com 2 volantes, 2 meias e dois atacantes….cada macaco no seu galho…sem invencoes!!

ORGANIZAÇAO TATICA – os jogadores sabiam de suas posicoes e funcoes em campo…coisa que na epoca do Muricy, era soh bagunca…
VONTADE E DETERMINAÇAO Com o Luxemburgo/Manager, o Palmeiras jogava um futebol limitado tatica e tecnicamente – porem os jogadores (ainda) se esforcavam em campo….ainda.

Ja na epoca do Jorginho, ele fez o simples – respeitou as caracteristicas de cada jogador, encaixando-as num esquema tatico competitivo e ofensivo. Os jogadores atuavam nas funcoes e posicoes onde melhor desempenhavam o seu futebol. E houve o retorno – jogaram bonito, com garra e disposicao.

Chegou o Muricy…e quis mudar o que estava dando certo. O Palmeiras que antes nos enchia os olhos, mudou de cara. Alem da retranca exagerada, jogava de forma feia e confusa taticamente. Pelas declaracoes na imprensa, foi facil observar que muitos jogadores nao estavam satisfeitos e depois, vieram os maus resultados, a pressao, a crise, o racha, a falta de comando e finalmente, os jogadores tiraram o peh. E apesar dessa postura apatica de alguns jogadores ter sido vergonhosa, por desrespeitar a nossa camisa e seus altissimos salarios…a falta de vontade (tambem) eh um reflexo do que acontece em muitas profissoes/empresas – demonstrando que quando um “lider”eh muito arrogante, ou teimoso, nao escuta ou nao motiva – o grupo ou individuo perde o interesse pelo trabalho ou projeto.

Seja esse “desinteresse” um sentimento motivado pela vaidade, ou mesmo inconsciente, o fato, eh que tirar o peh, tambem virou “moda” no futebol. Entao, que nossa diretoria e atual tecnico fiquem mais alertas quanto a isso, para nao acontecer no futuro, o que aconteceu no desastroso ano de 2009.

ANALISES INDIVIDUAIS –

Marcos – inseguro no comeco, mas depois se recuperou
Danilo – a pouca eficiencia ofensiva tricolor, facilitou sua vida. Mas nos salvou de um gol em cima da linha.
Leo – Tambem nao teve trabalho, porem, bobeou numa saida de bola e soh nao tomamos o gol, porque o SPFC nao soube aproveitar a oportunidade.
Wendel – Sua funcao foi mais defensiva (onde foi bem) e talvez por isso, Antonio Carlos o escalou no lugar de Figueroa…ou serah porque Figueroa nao anda agradando??
Eduardo – deu tambem uma bobeada na defesa, que me deixou com o frio na barriga. Mas, vejo potencial nele…poderia ter puxado mais contra ataques rapidos pela esquerda..De qualquer forma, vejo qualidade nesse menino. Espero nao estar enganada.
Marcio Araujo e Pierre – ambos marcaram muito bem e ate roubaram umas bolas importantes, mas erraram muitos passes…o que mata o nosso contra ataque.
C. Xavier – melhor que em jogos anteriores…Mas prefiro que ele jogue um pouco mais pela lateral direita, ao inves de Diego Souza…Um questao de gosto.
D. Souza – Fez algumas boas jogadas , mas muitas vezes, sua mania de segurar a bola ou mesmo de leva-la para a lateral do campo, me irrita. Falta rapidez no nosso ataque…e o estilo do Diego, eh uma dessas razoes..
Robert – Ainda estah devendo futebol..Mas foi oportunista e fez os gols. Merece o nosso reconhecimento. Espero que ele ganhe mais confianca depois dessa partida.
Lenny – na minha opiniao, o melhor em campo.
Marquinhos – qdo o Zago substituiu o Lenny por este, nao gostei da ideia. Mas nao eh que o ex jogador do Vitoria foi bem? But, ainda prefiro o Lenny.
Antonio Carlos – Foi corajoso. Nao soh pelas escolhas taticas e dos jogadores, mas tambem por ter montado o time do Palmeiras com uma postura ofensiva. Eu, honestamente, fiquei com trauma do Muricy. Se o Zago (realmente) admira e quer seguir as caracterisitcas taticas de Tele Santana, o nosso “novo” Palmeiras pode, sim, dar samba. Mas como eu ja citei anteriormente, para jogar no estilo Tele, o ataque tem de ser rapido, um ou dois toques de bola (no maximo)…e jogadas eficientes pelas laterais (com cruzamentos na linha de fundo)…

Entao, boa sorte ao nosso tecnico e muuuuuito treinamento para os jogadores alvi verdes. ;))

Angela

Vencemos… Mais do que o Bragantino e sua equipe de craques selecionáveis:

Vencemos nós mesmos…

Precisavamos vencer… Mesmo jogando mal… Mesmo sem merecer… Mesmo sem convencer…

Tinhamos que ganhar com um belo gol assinado por nossos dois maestros: Perfeita assistência do Diego, para conclusão de Cleiton (fazendo parecer tão fácil arrematar uma bola daquela)…

Tinhamos que vencer, apesar de Figueroa – irreconhecível e em franca decadência – não ganhar uma dividida (fosse no ataque, ou na defesa)…

E ainda com um gol impensável: Assistência pseudo-precisa de Wendel(?) para conclusão certa(?) de Robert (com ajuda ou não do goleiro Gilvan)… Se eu não tivesse visto com os próprios olhos, nao teria acreditado…

Precisavamos tomar sufoco: tão sintomático quanto a queda de rendimento dos palestrinos devido ao calor infernal, e a aparente falta de preparao físico (muito mais pelo calor)….

Precisamos de cada carrinho do Pierre, de cada chutão pra frente do Edinho (parece uma máquina de dar chutões para frente) e de cada uma das defesas de Marcos (chega soar redundante isso de nosso camisa 12)…

Em uma tarde atípica (ou talvez típica, se considerados os úiltimos jogos), até a substituição de Muricy, pondo em campo um dos muitos jogadores criticados pela torcida (aqui faço uma mea culpa) e por ironia do destino, seria aquele que nos daria a vitória…

Enfim… Ainda é pouco… Mas é um começo… Precisavamos de uma vitória assim. Sofrida. Suada. Injusta. Polêmica.

Muito melhor que uma goleada contra um candidato ao rebaixamento, para nos mascarar as deficiências do time…



Como enxergar um futuro não-nebuloso para a equipe palestrina no ano de 2010?

– Rezar para que apenas os lampejos de Diego e a aplicação tática e assistências de Cleiton, sejam suficientes para contagiar o restante do time?

– Que a nova ordem do futebol mundial se torne o “entrosamento”… Mesmo em detrimento da qualidade e da quantidade de peças a disposição?

– Torcer para que cada um dos reforços de nossos adversários não vinguem… Que passem pela pior fase técnica de suas carreiras… E que Léo, Márcio Araújo e Edinho apresetem futebol no mínimo digno de uma indicação do Neto para uma chance na seleção?

– Acreditar que os cavalheiros presentes na Mancha, consigam com seus protestos extremamente polidos e originais (poucos pixam muros com tanta maestria quanto eles), incentivar nossos atletas e dirigentes: afinal quem não gosta de uma pressão extra, motivada pela falta de segurança e violência iminente?

–  Que Ramos, Gabriel Silva, Luis Felipe e Gilsinho sejam os novos Alex, Roberto Carlos, Arce e Valdívia… E que atinjam este patamar de ídolos incontestáveis, no mais tardar, em dois jogos, para agradarem os gostos das arquibancadas?

– Que Muricy Ramalho se motive e se redescubra como técnico, que receba dicas do além (ou não) de Feola, Aymré moreira, Cilinho, Enio Andrade e Telê?

– Que as contas do Beluzzo sejam aprovadas, para que o dinheiro possa ser usado em reforços (sem medo das contas estourarem), e a oposição possa parar de ventilar falsas negociações e crises no elenco e possa trabalhar (mesmo que a contragosto)?

– Que todos nossos adversários tenham um adversário expulso, em jogos contra nós… Que não tenhamos jogadores expulsos, e que na dúvida os juízes e bandeirinhas fiquem a nosso favor?

Bom…

Jeito tem!!! Talvez houvesse uma maneira mais fácil…

Estaria sendo muito otimista???

Antes:

 

Depois:

 

____________________________________________________________

 

Antes:

 

 

Depois:

 

 

O post é auto-explicativo… Continuo não acreditando… Mas tem tanta gente que já tinha certeza… Quem sabe, né???